Uber para ônibus: apps se preparam para concorrer neste mercado

Uber para ônibus: apps se preparam para concorrer no mercado

A Uber anunciou que está se preparando para concorrer com ônibus. Na semana passada, o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, anunciou o lançamento global da Uber Bus. A novidade funcionará na cidade de Cairo, no Egito, e usará o sistema de micro-ônibus, amplamente popular no país.

A atualização chega para competir com outros serviços de reservas de ônibus, explorando um grande mercado. A capital egípcia é conhecida pelo trânsito conturbado e serviços de transporte públicos ineficientes.

E a empresa está muito otimista. O mercado egípcio ostenta um dos crescimentos mais rápidos do aplicativo. Apenas em 2017, mais de 150.000 motoristas trabalharam com a Uber, somando milhões de corridas.

Como vai funcionar?

Os passageiros que optarem pelo serviço poderão solicitá-lo pelo aplicativo da Uber. Porém, a disponibilidade vai depender da rota escolhida estar dentro dos bairros atendidos em Cairo. Os dias e horários de funcionamento serão informados na plataforma e uma rua pode ter uma ou múltiplas paradas. O pagamento será realizado normalmente por cartão ou dinheiro.

Interface da Uber Bus

Caso brasileiro

Se o Egito já conta com o Uber Bus, no Brasil a situação é um pouco mais complexa. Isso porque motoristas de Uber e empresas de ônibus travaram um impasse. As cooperativas alegam que a plataforma é uma concorrência injusta. O foco das críticas está no Uber Juntos, serviço onde até quatro passageiros com destinos interligados podem dividir o mesmo carro.

Segundo as companhias, os ubers não precisam pagar direitos trabalhistas ou atender as gratuidades definidas por Lei. Dessa forma, no mês passado, o Sindicato Paulista do Setor de Transporte Urbano solicitou, junto a Secretaria de Mobilidade e Transporte, a proibição do serviço compartilhado. Porém, a medida não foi acatada, respeitando a PLC 28 que regulamenta a utilização dos apps de transporte.

Do outro lado, a Uber acredita que a modalidade Juntos ajuda o trânsito das grandes cidades, diminuindo o número de carros individuais nas ruas. Além disso, a empresa afirma que carros particulares e serviços de transporte público podem trabalhar juntos. Isso porque a Pesquisa Origem e Destino 2017 mostra que, nos grandes centros, os apps são usados como “primeira ou última milha”. Isso representa o trajeto do passageiro de casa até a estação de ônibus, trem ou metrô, e vice-versa. Assim, o usuário que mora fora do centro, utiliza o carro particular da sua casa até a estação e vai de transporte público até seu destino final. Ao retornar, solicita o app na estação até sua casa.

Outras alternativas

Por enquanto, o novo serviço da Uber está disponível apenas em Cairo, mas outros sites e aplicativos desempenham funções semelhantes. É o caso da Buser, startup brasileira de afretamento de ônibus. Fundada em junho de 2017, em Minas Gerais, a empresa oferece viagens municipais e interestaduais com economia de até 60% em relação às frotas tradicionais.

Conhecida como”Uber dos ônibus”, a empresa atende cerca de 40 mil usuários e cobra do motorista uma taxa até 20%, dependendo do número de passageiros. Ela atende, preferencialmente, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Apesar disso, também oferece serviços, em menor escala, para Curitiba, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

No ano passado, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) havia suspendido os serviços da empresa. Mas, em março deste ano, foi garantido na Justiça o direito de operar sem impedimentos, uma vez que não exerce função ilegal.