Fidelização: apps de transporte testam novas formas de pagamento

O que novas formas de pagamento tem a ver com fidelização do passageiro?

Os aplicativos de transporte representaram uma nova forma de se locomover pelas cidades. Como você bem sabe, antes não havia muita concorrência na disputa pela mobilidade urbana.

Atualmente, com a diversidade de apps operando, tanto motoristas quanto passageiros podem escolher em qual aplicativo participar. Os motoristas buscam as melhores taxas e condições, já os passageiros buscam os melhores preços e segurança.

Dessa forma, a variedade de apps no mercado representa um desafio para quem quer empreender. E o desafio se chama fidelização.

Afinal de contas, em um mercado tão competitivo, como garantir um faturamento mais previsível e ter motoristas e passageiros fiéis ao app?

Em um dos artigos do blog, demos 3 dicas para fidelizar clientes e motoristas. Você pode conferir lá como influenciar que ambos permaneçam no seu app. E mesmo com as variações do mercado, continue preferindo o seu aplicativo.

Fidelizando por meio de formas de pagamento

Observando esse desafio, os principais apps do mundo estão concentrados em montar estratégias para não apenas atrair novos passageiros e motoristas, mas fidelizá-los. Uma dessas estratégias é a forma de pagamento.

Você deve lembrar que no início os apps priorizavam o pagamento pelo cartão de crédito. Até por uma questão de segurança, o que agradava muito os motoristas. Com o tempo eles foram adicionando novas formas, como dinheiro, possibilitando o acesso de mais pessoas aos aplicativos.

Atualmente, os apps oferecem diversas formas de pagamento, como cartão de crédito, débito, pagamento online, dinheiro e até maquininha. A Uber chegou até testar pagamento em boleto.

Planos mensais

Imagine uma pessoa que utilize diariamente um app de transporte. O pagamento corrida por corrida ao final do mês acaba saindo muito caro, não é mesmo?

Assim, alguns apps começaram a perceber que oferecer um pacote mensal, do mesmo estilo do Netflix ou do Spotify seria vantajoso tanto para passageiros quanto para a empresa. Afinal, para o passageiro seria muito mais prático e econômico. Já para o aplicativo seria uma forma de fidelizar o passageiro.

Lyft

Nos Estados Unidos, a Lyft, app que ainda não chegou no Brasil, mas já é a principal concorrente da Uber nos EUA, anunciou em outubro de 2018 um pacote de corridas mensais.

O pacote nomeado de “All-Access Pass” custa 299 dólares, o que equivale cerca de 1,1 mil reais, garante ao passageiro 30 viagens mensais de 15 dólares cada. Caso a viagem realizada seja mais cara, o passageiro paga a diferença. Note que ao contratar esse serviço, o passageiro que utiliza o app com regularidade sai ganhando. Sem o pacote, realizando 30 viagens de 15 dólares, o passageiro pagaria 450 dólares.

As corridas fora do pacote teriam de desconto de 5% cada uma.

Uber Ride Pass

A Uber anunciou em outubro que estava testando em seis cidades dos Estados Unidos um serviço de pacote mensal. Nessa modalidade, o passageiro assinaria pacotes a partir de 20 dólares e teria direito de 20 a 40 corridas por mês. No entanto, não seriam corridas gratuitas, mas sim com descontos e sem a variação de preço em caso de tarifa dinâmica.

Por exemplo, em uma das cidades em que o modelo está sendo testado, Miami, o passageiro paga 30 dólares por mês e tem direito a 20 corrida por 5 dólares no UberX. Independente da distância.

Uber Cash

No Brasil, a Uber começou a usar o Uber Cash. Esse é o sistema de pagamento pré-pago em que o passageiro vai inserindo bônus no app para realizar as viagens. Os bônus podem ser adquiridos em mais de 250 mil postos de venda espalhados pelo país (pagos em dinheiro ou boleto) ou pelo próprio app por meio de cartão de crédito, débito ou paypal. O que é excelente para os passageiros que querem ter um controle sob seus gastos nos apps.

Já para os apps também é um ótima forma de fidelizar.